Depois de escrever e dirigir o elogiado Os Meyerowitz, que chegou na Netflix em 2017, agora o cineasta Noah Baumbach repete a parceria com o serviço de streaming para realizar mais um projeto que vai brigar por indicações nas principais premiações: História de um Casamento. Estrelado por Adam Driver e Scarlett Johansson, a trama acompanha o processo do divórcio de um casal de maneira intimista e emocionante.

O roteiro, escrito por Baumbach, marca todos os checks sobre as dificuldades de uma separação, tornando-se bem completo com relação ao tema. Isso inclui a guarda da criança, o casal viver em cidades diferentes, tipos de advogados e a relação com a família e os amigos. Esses assuntos contam com comentários afiados sobre como a sociedade vê um homem e uma mulher que passam por isso, trazendo perspectivas de fora. Tudo isso é muito bem desenvolvido durante a história, ficando cada vez mais intenso conforme avança. Devido à ocupação dos protagonistas – Nicole (Scarlett Johansson) é atriz, enquanto Charlie (Adam Driver) é diretor – há tempo de explorar os bastidores da TV e do teatro.

O filme conquista o público em seus minutos iniciais, com os monólogos de um descrevendo o outro. A narração em off, somada com momentos que ilustram as situações, tem um potencial muito grande, fazendo com que nos apeguemos aos personagens logo de cara. O texto é muito bem escrito, onde eles caracterizam o parceiro como se fosse uma pessoa incrível, enquanto admitem seus próprios defeitos. Com isso, é fácil sentir empatia ou até mesmo se identificar.

O longa é composto por cenas cotidianas que, a princípio, não são nada de mais. Entretanto, aqui se tornam incrivelmente naturais graças à entrega dos atores. O conflito aparece de forma explícita durante as brigas, que se tornam cada mais frequentes e enérgicas, porém ainda é possível notá-lo em pequenos detalhes de suas interpretações.

Além de Driver e Johansson, todo o elenco está muito bem, com destaque para Laura Dern como a advogada Nora e Azhy Robertson como Henry, o filho do casal. As cenas são impressionantes a ponto de parecer que estamos mesmo assistindo a um documentário de um caso real. Certamente os protagonistas marcarão presença na temporada de premiações, além do Globo de Ouro.

O tom realista não é mérito apenas dos atores. Baumbach opta por takes longos para captar os momentos em sua real duração, incluindo silêncios e hesitações, que têm muito a dizer. Nessas nuances, os personagens revelam seus verdadeiros sentimentos e tornam a história espontânea. A fotografia crua de Robbie Ryan também tem grande importância no conjunto, pois o deixa com menos aspecto de uma produção cinematográfica. Definitivamente não é como se estivéssemos assistindo a um filme com atores.

O paralelo construído em cima do casal é outro ponto muito presente. É comum os vermos afastados nas extremidades, em um plano geral, para explicitar a distância que há entre eles. Há o uso de elementos em cena para dividi-los na tela, além de fusões para apresentar seus pontos de vista. Planos fechados, destacando a atuação, também são frequentes.

Mesmo que seja em maior parte silencioso, quando presente, a música de Randy Newman injeta um ar melancólico, potencializando o drama. Por outro lado, apesar de ser uma história emocionalmente carregada e trágica – já que estamos falando do fim de um relacionamento – também há cenas leves e divertidas, de forma pontual.

História de um Casamento conta com um roteiro primoroso e atuações autênticas, resultando em uma história comovente. Mesmo que você não tenha passado por uma separação, é possível se envolver com o que é vivido pelos protagonistas. Mais um acerto da Netflix para a temporada de premiações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui