O filme solo do Coringa, dirigido por Todd Phillips, foi exibido hoje (31) no Festival de Veneza, onde foi muito bem recebido. Segundo a Variety, após a exibição, o longa foi ovacionado por oito minutos.

As primeiras críticas também já estão sendo divulgadas e, por enquanto, estão bem positivas. O longa acumula 75 no Metacritic (com 18 textos) e 86% no Rotten Tomatoes (com 22).

No geral, os críticos estão exaltando a performance de Joaquin Phoenix, com diferentes reações ao projeto como um todo. O consenso do Rotten Tomatoes diz (em tradução livre):

Coringa dá ao seu infame personagem central uma arrepiantemente plausível história de origem, que serve como uma brilhante apresentação de sua estrela – e uma evolução sombria para o cinema inspirado em quadrinhos.”

Confira alguns comentários de críticos (em tradução livre):

“Corajoso, devastador e completamente lindo, Todd Phillips e Joaquin Phoenix não só reimaginaram um dos vilões mais icônicos da história do cinema, mas reimaginaram o filme de quadrinhos em si.” – Terri White, da Empire (100/100).

“Mais um estudo de personagem do que um filme de quadrinho, e ancorado por uma atuação digna de Oscar do Joaquin Phoenix, Coringa é um blockbuster bravura que prova que você não precisa de sucatas super-poderosas para brilhar.” – Jordan Farley, da Total Film (100/100).

“Que filme gloriosamente desafiador e explosivo é Coringa. Um conto quase tão perturbado quanto o homem em seu centro, inflando ideias e tentando alcançar anarquia.” – Xan Brooks, do The Guardian (100/100).

“Um vilão icônico de quadrinhos ganha uma apropriadamente épica história de origem em Coringa, o que garante ao talento cru de Joaquin Phoenix o seu maior palco até agora.” – Tim Grierson, da Screen Daily (90/100).

“Entre o fogo e o sangue e o caos e a mais sombria das sombrias risadas de Coringa, há uma noção de que um gênio grotesco de cabelo verde está saindo de uma garrafa, e causando destruição ou não, não conseguiremos colocá-lo de volta para dentro.” – Jessica Kiang, do The Playlist (83/100).

“É bom o suficiente para ser perigoso, e ruim o suficiente para exigir melhor. Vai colocar o mundo de cabeça para baixo e nos tornar histéricos no processo. Para o bem ou para o mal, é exatamente o filme que o Coringa iria querer.” – David Ehrlich, do Indiewire (58/100).

“Como comentário social, Coringa é lixo pernicioso. Mas, além dos prazeres excêntricos da performance de Phoenix, também demonstra algumas grandes competências básicas de estúdios de cinema, de forma não diferente do que Nasce Uma Estrela apresentou no ano passado.” – Glenn Kenny, do RogerEbert.com (50/100).

Para ler mais comentários, clique aqui.

Coringa tem direção de Todd Phillips, que também escreveu o roteiro ao lado de Scott Silver. A estreia está marcada para 3 de outubro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui