Em Mulheres Alteradas, acompanhamos as dúvidas e questões de quatro personagens: Keka (Deborah Secco), Marinati (Alessandra Negrini), Sônia (Monica Iozzi) e Leandra (Maria Casadevall). De forma leve e divertida, o diretor Luis Pinheiro traz todos os questionamentos dessas protagonistas, que precisam lidar com amor, trabalho, família e amigos, ao mesmo tempo, e não sabem como conciliar tudo.

O filme é uma adaptação dos quadrinhos da argentina Maitena, que fez sucesso em tratar com humor as várias situações que as mulheres vivem. E com o passar do tempo, muito do que ela abordou nas HQs já possui olhares diferentes no contexto atual em que vivemos.

Na pré-estreia do filme – que aconteceu no dia 25 de junho, no Kinoplex Leblon (RJ)Luis Pinheiro nos contou como foi esse processo de adaptação:

“Nós – eu, Andrea Barata Ribeiro [produtora] e o Caco Galhardo [roteirista] – buscamos dúvidas e questões atemporais nessas mulheres. Pensamentos que não conectam com o momento, mas que sempre vão pintar na cabeça das mulheres. Isso tem muito nos quadrinhos da Maitena.”

Keka (Deborah Secco), Marinati (Alessandra Negrini), Sônia (Monica Iozzi) e Leandra (Maria Casadevall), em cenas de Mulheres Alteradas

O diretor detalhou a maior dificuldade na adaptação: “O difícil foi pegar esses quadrinhos, que não possuem uma narrativa de história, e construir três histórias com as quatro personagens. Decidimos agrupar por temas, que são comuns nos cinco volumes da coleção ‘Mulheres Alteradas’, criando uma história em que essas personagens se cruzassem e que pudessem viver todas essas transformações. Não foi um movimento muito fácil, a gente trabalhou bastante nisso.”

Mulheres Alteradas tem muito da linguagem dos quadrinhos. Textos surgem em tela e até as personagens aparecem no estilo de desenho, parecendo que estamos assistindo verdadeiramente uma HQ.

Leandra (Maria Casadevall), em forma de ilustração, dos quadrinhos da argentina Maitena

“Tentamos ao máximo aproximar a linguagem do ‘cartoon’, algo cartunesco”, disse Pinheiro sobre a escolha da proposta. “Nos inspiramos muito no esquilo de A Era do Gelo, nele pulando para a câmera e a noz dele cai. Tudo se dirige à câmera e sai dela, nos colocando dentro da linha de olhar das personagens. Nos deslocamos com elas. Essa postura é muito de desenho animado. Algo irreverente e que tentamos brincar com o jeito de fazer o filme. E muitos dos efeitos foram práticos, feitos no set – o coco que cai, por exemplo, foi realmente feito de borracha.”

Todo o design de produção e fotografia chamam muita atenção no filme, principalmente a forte presença do estilo neo-noir nos ambientes fechados. Isso traz vivacidade, cores e belos elementos visuais distintos, em cenas da balada, por exemplo. E o diretor nos explicou essa proposta:

“Pensamos que tudo e o ambiente mudariam à medida que elas [as protagonistas] mudassem no filme também. Em ter o mínimo de interferência digital, e trazer mais realidade, cor e luz para o filme. Essa luz, câmeras e cortes contando uma história e se relacionarem com a essência do cinema. Tentamos assim deixar mais rica a linguagem da comédia.”

Christian (Daniel Boaventura) e Marinati (Alessandra Negrini) em cena de Mulheres Alteradas. Eles se conhecem na balada e ela logo se apaixona.

Samantha!

Além disso, Luis Pinheiro é um dos diretores da série Samantha! – a nova produção brasileira da Netflix, que estreia em 6 de julho. A trama acompanha Samantha (Emanuelle Araújo) – uma ex-celebridade mirim dos anos 80, que atualmente se apega aos últimos vestígios de sua fama, com planos absurdos para voltar aos holofotes. As coisas se complicam quando seu marido, ex-estrela do futebol, volta para casa depois de ficar mais de 10 anos na prisão.

“A série foi criada pelo Felipe Braga e ele me convidou para dirigir”, contou Pinheiro sobre essa série original da plataforma. “Sou o diretor principal e já estamos fazendo uma segunda temporada para a série. Gostei da proposta por ser uma série ‘weird’ – é estranha, esquisita – e a Samantha é muito louca também, sabe. O público verá que criamos um universo completamente surreal da vida dela. Ela é várias personagens misturadas e outros compõem a família dela. Uma família brasileira esquisita, em uma comédia rápida. A série tem muito do que eu penso sobre a postura cinematográfica da comédia. E vamos nessa, espero que seja um grande sucesso também!”

Mulheres Alteradas em série

E parece que o filme pode ganhar mais histórias. O diretor e a produção não descartaram o interesse em transformar o longa em uma série de TV. Mas tudo ainda é uma ideia, sem mais detalhes divulgados.

Confira fotos exclusivas da pré-estreia, na galeria abaixo:

Este slideshow necessita de JavaScript.

————————

Mulheres Alteradas estreia em 5 de julho nos cinemas. A produção é da O2 Filmes; coprodução da Globo Filmes e Telecine; e distribuição da Paris Filmes e Downtown Filmes.

Não deixe de conferir a nossa crítica do filme, clicando aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui