Um dos animes mais esperados da temporada de julho de 2019 é Dr. Stone. Sua popularidade aumentou após o mangá de mesmo nome, escrito por Riichiro Inagaki, ter vencido o prêmio de Melhor Shounen de 2018 na Shogakukan Manga Award. A estreia da série animada não decepcionou, entregando tudo que os fãs estavam esperando.

Na trama, uma luz misteriosa transforma todos os humanos em pedra. 3700 anos depois, os amigos Senku e Taiju conseguem voltar a vida e agora procuram uma forma de trazer as pessoas de volta ao normal com o poder da ciência. Um dos grandes diferenciais de Dr. Stone é o foco que tem no lado científico. Os personagens são apenas pessoas normais que conseguem lidar com os problemas usando técnicas que existem na vida real. Por exemplo, aqui eles combinam ácido nítrico e etanol para fazer nital. O interessante é que no fim dos episódios há uma cartela avisando que os métodos são reais, mas o público não deve repetir se não tiver o conhecimento específico, por ser perigoso.

A princípio, a parte científica pode ser um pouco complicada para o público geral, mas o anime consegue ser o mais didático possível para qualquer um entender. Isso acontece graças a interação entre os dois protagonistas, responsáveis por momentos expositivos, mas também necessários, que fazem sentido dentro da proposta.

Senku é o cérebro da dupla. Ele é sempre visto como um gênio da ciência, apesar de ainda ser um estudante, se destacando pelo raciocínio lógico. Já Taiju representa os músculos, sendo tão necessário quanto Senku para o plano de reconstrução da humanidade. O que mais impressiona no personagem é sua persistência e motivação. Ele ia se declarar para a garota que gosta no momento em que o mundo ficou petrificado, e agora tudo que ele quer é trazê-la de volta ao normal. A dependência entre os dois personagens é muito bem construída, pois ambos se complementam de forma perfeita nas tarefas.

Também vale destacar o ritmo deste primeiro episódio. Durante um longo tempo, temos apenas a interação entre dois personagens, mas ainda conseguem sustentar 20 minutos sem que o público perca o interesse pela trama. Pelo contrário, as coisas ficam mais intrigantes com o passar do tempo, pois nos questionamos o que pode ter acontecido.

Inclusive, Dr. Stone faz um excelente trabalho em retratar como ficaria a Terra após um evento como esse. Podemos ver o que aconteceu com as pessoas ao redor do mundo e as possíveis tragédias, como carros e aviões com motoristas e pilotos petrificados. Após 3700 anos, o planeta se mostra coberto de plantas e com os animais passando a dominar o território que antes pertencia aos humanos. É como se desse origem a uma nova era.

Este começo nos deixa a curiosidade sobre quais consequências este acontecimento misterioso pode ter. Há várias perguntas que precisam ser respondidas, e o anime terá mais 23 episódios para isso. Com certeza ele não se sustentará apenas com seus protagonistas, o que significa que mais pessoas também devem ter voltado ao normal, entre inimigos e aliados.

Para quem gosta de ciência, Dr. Stone é um dos animes que mais se propõe a seguir a realidade à risca. Ele pode ter elementos complexos para alguns por usar termos pouco conhecidos, mas há um esforço em torná-lo acessível. Um início à altura de uma história inspirada em um premiado mangá.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui