No meio de tantos animes do gênero isekai com qualidade questionável e que parecem cópias uns dos outros – como The 8th Son? Are You Kidding Me? -, é sempre bom encontrar boas adaptações. Um exemplo disso é My Next Life as a Villainess: All Routes Lead to Doom!, baseado na novel homônima escrita por Satoru Yamaguchi. Na trama, uma garota da nobreza chamada Katarina Claes bate a cabeça numa pedra e recupera memórias de sua vida anterior. Ela descobre que está vivendo dentro de um jogo em que era viciada e que está na pele da vilã da história. Então, ela tenta fazer de tudo para impedir seus dois possíveis destinos trágicos: ser exilada ou morta.

Um dos principais atrativos dessa obra é a forma como ela subverte o gênero isekai, nadando contra a maré e destacando-se entre os demais. Para começar, a personagem principal é uma garota, o que não é tão comum em animes como esses, onde há sempre um garoto rodeado de garotas. Além disso, temos uma protagonista que, na verdade, é a vilã – mesmo que ela não aja como tal, só é colocada nessa posição.

Acompanhamos Katarina desde sua infância, já que os eventos que acontecem nesse momento de sua vida interferem diretamente no seu destino dentro do jogo. Ela tem uma motivação justa, muita personalidade, é divertida e determinada. Todas as características que ajudam o espectador a torcer por ela (sim, torcemos pela vilã).

Ainda temos o jogo em que a protagonista vai parar, que não é um RPG de fantasia medieval como nos outros isekais. Neste caso, Fortune Lover é um otome game, um gênero popular entre garotas, onde o objetivo é desenvolver um relacionamento romântico entre a personagem feminina e um dos vários personagens masculinos. No caso de Katarina, ela está no papel de uma das rivais amorosas da protagonista. Mesmo que não haja nenhum Rei Demônio para ser derrotado, a trama ainda conta com magia e outros elementos básicos de RPG, apesar de ser enfocado mesmo no romance.

Neste primeiro episódio, há um ótimo trabalho de explicar a trama didaticamente e nos colocar na cabeça da protagonista. O anime faz isso literalmente, com direito a uma “Reunião na Mente da Katarina”, onde suas versões destemida, medrosa, alegre e inteligente tomando uma decisão em conjunto, bem ao estilo Divertida Mente. É muito interessante acompanhar sua jornada, pois o público funciona como um cúmplice de seus planos. Ela divide conosco todas as informações sobre os outros personagens, até mesmo o que vai acontecer com eles no futuro, já que ela conhece o jogo que está vivendo. Não tem problema sabermos de tudo isso, pois a grande sacada aqui é alterar essa história.

My Next Life As a Villainess: All Routes lead to Doom! tem muito potencial e deve ficar ainda mais interessante quando conhecermos os outros personagens, já que a protagonista do jogo ainda nem deu as caras e a “vilã” ainda está vivendo sua infância. Isso significa que teremos um salto temporal em algum momento. Apenas por ser um isekai diferente dos demais já chama atenção, mas a história conquista mesmo pelo carisma dos personagens e pela curiosidade de como Katarina vai conseguir evitar seu destino – e se ela vai.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui