Em Vingadores: Ultimato, quando os heróis viajam para Os Vingadores (2012), uma confusão faz com que Loki (Tom Hiddleston) tenha a oportunidade de pegar o Tesseract. Assim, o Deus da Trapaça some com o artefato.

Em uma entrevista (via CBM), os diretores Joe e Anthony Russo explicaram como isso afeta a linha do tempo:

“Quando Loki se teletransporta, cria sua própria linha do tempo. Fica muito complicado, sendo impossível para ele [o Capitão América] corrigir a linha do tempo, a menos que ele encontrasse o Loki. No minuto que o vilão faz algo tão dramático quanto pegar o Tesseract, ele cria uma realidade ramificada”, detalha Joe.

“Estamos lidando com essa ideia de multiversos e realidades ramificadas, então há muitas realidades”, diz Anthony, reforçando ainda mais os planos de explorar o Multiverso na Marvel.

O público deve ver as consequências disso na série solo do Loki, que será lançada no Disney+ (leia mais aqui). Ainda não existem informações oficiais sobre a trama, mas o seriado deve mostrar o personagem como um metamorfo e trapaceiro, vivendo ao longo da história da humanidade como influenciador dos principais eventos históricos mundiais. Tom Hiddleston já foi confirmado para retornar ao papel.

Vingadores: Ultimato continua em cartaz nos cinemas. Confira a nossa crítica sem spoilers, clicando aqui.

Veja também:

15 Melhores Momentos do Longa (COM SPOILERS)
52 spoilers fora de contexto
4 cameos além do Stan Lee
15 referências ao próprio MCU (COM SPOILERS)
14 referências aos quadrinhos

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui