A atriz Scarlett Johansson deu uma entrevista ao Vanity Fair, onde comentou sobre sua carreira, sonhos e vida pessoal. Na publicação, a intérprete da Viúva Negra falou sobre a trajetória dentro dos filmes da Marvel Studios.

“Simplesmente amei. Nunca tinha visto algo assim antes. Não que eu fosse particularmente uma fã de super-heróis ou desse gênero, mas parecia inovador. E eu queria trabalhar com a Marvel. Parecia um lugar emocionante para se estar”, comentando sobre antes de entrar em Homem de Ferro 2.

Apesar dela ter tido uma reunião com o Kevin Feige, presidente do estúdio, e o diretor Jon Favreau, que comandou o longa, o papel tinha ficado com Emily Blunt. Porém, por questões de conflitos de agenda e contratuais, Blunt teve de recusar a personagem. Assim, Johansson foi escalada.

“Recebi a ligação e fiquei muito, muito decepcionada. Você sabe, a vida continuou”, falando sobre antes de receber a boa notícia, e depois continuou: “Não sou de guardar rancor nem nada. Eu estava superanimada. Quando me encontrei com Jon novamente, fizemos piada por ele não ter me escalado, mas eu estava animada. Muito feliz.”

Quando Feige ligou para ela para explicar o destino da personagem em Vingadores: Ultimato, a atriz ficou no misto de surpresa e compreensão: “Ele me ligou, como era normal, apenas para discutir o roteiro e o que aconteceria. Mas acho que foi mais para me contar [sobre a morte da Viúva]. Fiquei surpresa e ao mesmo tempo não fiquei. Todos sabíamos que haveriam grandes perdas”.

Por fim, Johansson também comentou sobre o que espera com o filme solo:

“Não queria que fosse uma história de origem, nem que fosse uma história de espionagem. Não queria que parecesse superficial. Mas sim, fazer com que isso se encaixasse onde eu estava com a personagem. Eu havia passado tanto tempo descascando aquelas camadas – sentia que, a menos que chegássemos a algo profundo, não havia razão para fazê-lo. Porque eu fiz o meu trabalho em Ultimato, e realmente me senti satisfeita com isso. Ficaria feliz em deixar isso acontecer. Portanto, tinha que haver uma razão para fazê-lo.”

“O filme fala sobre temas bem difíceis. Lida com muitos traumas e dores. E espero que este filme seja empoderador para as pessoas, porque acho que Natasha é uma pessoa muito inspiradora de várias maneiras. Ela superou muito e é corajosa. Então, elevando o gênero, quero dizer que espero que seja explosivo e dinâmico e tenha todas as coisas divertidas típicas desses filmes.”

A trama do longa vai se passar entre os eventos de Capitão América: Guerra Civil e Vingadores: Guerra Infinita. Scarlett Johansson volta no papel principal, além de contar com Florence Pugh, David Harbour e Rachel Weisz no elenco. O design de produção será de Maria Djurkovic (Operação Red Sparrow).

Viúva Negra tem a direção de Cate Shortland (Lore) e o roteiro de Jac Schaeffer. A estreia está marcada para 1º de maio de 2020 nos cinemas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui