Na semana passada, foram lançados o primeiro trailer e pôster de X-Men: Fênix Negra. Alguns fãs notaram que a palavra ‘X-Men’ não fazia parte do título do filme nos EUA.

E agora, em entrevista ao Collider (via ComicBook), o diretor Simon Kinberg explicou o motivo de tal decisão. De acordo com ele, a escolha foi feita para sinalizar que o filme tem uma abordagem diferente dos outros lançados anteriormente:

“Queria chamar de ‘Fênix Negra’ da mesma forma que queríamos chamar Logan de ‘Logan’, ao invés de ‘X-Men: Logan’, para indicar que é um tipo diferente de filme e para mostrar que é uma história movida pelos personagens. Queríamos indicar que essa é a história da Fênix Negra e que ela está no centro, tudo gira em torno de Jean. Ela como o sujeito do filme, e não o objeto”, disse Kinberg.

No novo filme, os X-Men encaram um dos vilões mais formidáveis e poderosos: uma das suas próprias integrantes, Jean Grey (Sophie Turner). Durante uma missão de resgate no espaço, Jean quase é morta quando atingida por uma misteriosa força cósmica. Uma vez que ela retorna para casa, essa força não só a faz muito mais poderosa, como também mais instável. Lutando contra essa entidade dentro dela, Jean utiliza todo o seu poder em formas que nem ela consegue compreender ou conter. Com Jean fora do controle, e machucando aqueles que ama, ela começa a desvendar os segredos que unem os X-Men. Agora, com essa família se despedaçando, eles precisam encontrar um jeito de se manterem unidos – não apenas para salvar a alma de Jean, mas também para salvar o planeta dos aliens que querem usar essa força como uma arma e comandar a galáxia.

X-Men: Fênix Negra tem estreia marcada para 7 de junho de 2019. A direção é de Simon Kinberg.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui