No último sábado (1), encerrou-se o III Festival de Cinema de Petrópolis. Durante quatro dias, o evento trouxe para os visitantes uma programação completa e gratuita, que incluiu filmes e curtas nacionais.

O festival aconteceu em um local especial: o Palácio Quitandinha, localizado na zona sul de Petrópolis. Construído em 1941, ele foi palco para as festividades do evento, em que um grande projetor foi instalado dentro do belo e enorme teatro, para a realização das exibições.

Teatro localizado dentro do Palácio Quitandinha

“Um espaço para o encontro de amantes e fazedores de cinema. Um lugar para se debater novas formas de mercado, captação e estética. Um festival que abraça o cinema autoral e comercial, além de ser uma oportunidade de trazer para Petrópolis filmes que provavelmente não chegariam nos cinemas da cidade”, disse Daniela Brescianini, uma das organizadoras do evento.

Quatro diferentes mostras foram exibidas: “Panorama Nacional”, “Mostra Globo News/ Globo Filmes”, “Mostra Infanto-Juvenil” e “Clássicos Franceses”. O festival também contou com a exibição de curtas realizados por alunos do curso de Cinema da Universidade Estácio de Sá.

Na abertura, o público pôde conferir Chacrinha: O Velho Guerreiro, de Andrucha Waddington. O longa conta a história de um dos maiores ícones da TV brasileira, com Stepan Nercessian no papel principal. Nossa equipe esteve no último dia do evento e conta como foi o encerramento:

Stepan Nercessian em “Chacrinha: O Velho Guerreiro” / Créditos: Suzanna Tierrie

O festival forneceu um transporte exclusivo Rio-Petrópolis-Rio, levando o público carioca até as sessões. Chegando no Palácio Quitandinha, fomos recebidos e levados para o teatro, onde aconteceria a exibição de curtas dos alunos da Estácio de Sá e dos longas Sequestro Relâmpago, de Tata Amaral; e O Grande Circo Místico, de Cacá Diegues, que é o representante brasileiro na corrida para indicação ao Oscar 2019.

Abaixo, você confere o trailer de ambos os filmes, que estão em cartaz nos cinemas:

Realizado com muito cuidado e detalhes, o III Festival de Cinema de Petrópolis agradou bastante o público. A exibição de O Grande Circo Místico foi a mais cheia, já que as pessoas estavam curiosas em ver o filme que pode chegar ao Oscar 2019. Todos ficaram impressionados com a estética do longa.

Ao final, um grande baile de máscaras encerrou o evento. A festa contou com a presença dos realizadores e das pessoas que participaram do evento, seja cobrindo ou exibindo algum trabalho. O saldo final foi super positivo, como conta Luciana Pacheco:

“Com a parceria do Festival de Cinema de Petrópolis e o núcleo Audiovisual da Faculdade Estácio de Sá pudemos ter a possiblidade de assistir o que está sendo feito pela nova geração. Entendemos cada vez mais a necessidade de investir em uma estratégia inteligente que mantenha crescente a formação de plateia. O festival é uma oportunidade de pensarmos juntos o cinema e sua conjuntura histórica”.

Luciana Pacheco e Daniela Brescianini, respectivamente, no painel do Festival / Créditos: Roberta Gheren

O III Festival Imperial de Cinema de Petrópolis contou com patrocínio do Certisign, copatrocínio da Bohemia e apoio cultural da Globo Filmes. Que venha o quarto em 2019!

*Agradecemos a toda a equipe do III Festival de Cinema de Petrópolis pela atenção e pela oportunidade do nosso site ter participado do evento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui